Centenas de flashes esperavam ontem Lou Reed (Brooklyn, new york, 1942) na Cineteca do Matadouro de Madrid, onde o artista apresentou uma mostra de tuas fotografias. Mas o nova-iorquino não respondeu às expectativas que a imprensa, consciente de estar diante de um mito cultural do século XX, tinha depositadas em tão frugal encontro.

O que fora líder do The Velvet Underground, e logo Factory de Warhol chegou, viu e decepcionou. Taciturno, hirsuto, com o rosto escondido e um humor de cão, Lou Reed foi a viva imagem da decadência e o ocaso de uma estrela que acabou engolido por teu respectivo personagem. —Por que decidiu fazer uma câmara ao ombro e fazer imagens?

—eu Viajo muito e vejo coisas incríveis, assim eu pensei que eu deveria fotografar essas coisas tão lindas. —E o que lhe atrai deste ritual? —Tento fazê-lo da forma mais elegante possível. É como quando seu fotógrafa sujeita a sua câmera com a mão, aperta o botão e retorne a repeti-lo pra tentar fazer melhor. E, realmente, com a segunda foto me fez um retrato melhor, uma vez que sabia como fazê-lo.

Se você não entende como fazer as coisas, tudo vai continuar mais lerdo. —Isso ocorre em todos os campos. —Se é assim com todas as coisas. O discernimento é de fato bom, em tudo, é melhor saber do que não saber. Eu sou um novato. —O que um newbie em fotografia? Como também na música?

—Claro, deixe-me dizer. Nem estou perto do meu objetivo. —Você é divisão do modo criativo? —Não posso responder, pelo motivo de eu nunca consegui compreender por mim mesmo. Não tento parecer um tipo curioso, é que eu de fato não sei. —O que me diz de inspiração? —Eu acredito em inspiração, sem dúvida.

—Se eu olho e meu coração começa a bater. —Uma vez argumentou que é um graduado na Warhol University. —Qual seria a Factory possível hoje? —Como eu posso saber? —Fazem-Nos inexistência espírito, o que precisamos. Quando Picasso morreu, achávamos que neste momento não tínhamos mais gênios, porém chegou Warhol. —E após Warhol? —Ainda não sabemos. 40,3 milhões de criancinhas que poderiam estar morrendo. —Há 2 anos, eu compartilhei uma discussão em Madrid com a sua mulher, Laurie Anderson.

  • Icíar Bollaín roda no Nepal teu novo vídeo
  • 27 O Tibete para os tibetanos
  • 5 Quinta temporada (2013)
  • 23KM. Ritmo potente no pelotão, que roda muito esticado. Vão entrar limites ao porto término
  • 2 Armas como Iron Patriot
  • Mesa Boogie Stiletto Trident
  • Sabe-se que o número encerramento ao mencionar representa o total de objetos em um grupo
  • Intro: é excessivamente comprido; pordríamos cortar à metade

Coincidiu com o 15-M e esteve com os manifestantes no Sol. —Também está envolvida no “Occupy Wall Street”. o que se supõe que deve fazer? 99% das pessoas não tem nada, não tem emprego, não tem residência, não tem futuro. —Que papel necessita exercer o artista? —Preste atenção, mover as pessoas. É o que vou fazer no momento em que retornar. —Falando de mover-se, o —Uma das músicas é incrivelmente legal.

Tem o aliciante de ser considerado um dos melhores locais do universo pra ver o céu, o que, unido a tua história a respeito os primórdios da astronomia e de outras atividades, levaram a este reconhecimento. A 60 quilômetros encontra-se o observatório do Teide (2.390 m).

Granadilla de Abona, ilha de Tenerife (ilhas Canárias). É uma área que está a 2.396 metros de altitude e é perfeita pra examinar a abóbada celeste, então tornou-se um dos lugares mais consideráveis do planeta. Dispõe de telescópios de imensos países, como o Grande Telescópio Canárias, o maior do mundo. Pode-Se visitar o ano todo, a toda a hora que a operação dos telescópios e as condições meteorológicas o permitam.